Nutrição para combater a osteoporose

A rara combinação de vitaminas e minerais faz desses alimentos exemplos de riqueza nutricional. Saiba mais sobre esses vegetais para introduzi-los de vez no seu cardápio

O hábito de consumir brotos ou germinados como o feijão, a lentilha, a alfafa, o rabanete, o brócolis, o amaranto e até o trevo, já integra os hábitos alimentares de muitas pessoas, especialmente aquelas que apreciam a cozinha natural e saudável. Muito usados no Oriente, eles também são apreciados nos Estados Unidos e no Brasil. Segundo a nutricionista Elaine de Pádua da clínica DNA Nutri (SP), esses alimentos estão cada vez mais sendo apreciados não só pela facilidade de seu preparo, mas especialmente por suas propriedades nutritivas. Segundo a especialista, a germinação é a fase mais rica em nutrientes no desenvolvimento vegetal. “Isso significa que eles são facilmente assimilados e correspondem, em suas características fisiológicas, a um processo pré-digestivo, por meio do qual as proteínas se decompõem em aminoácidos, os carboidratos complexos, em açúcares simples, e as gorduras, em ácidos graxos”, diz Elaine. Como possuem enzimas, são de fácil digestão, mesmo para quem enfrenta problemas estomacais. “A maior concentração de fitoquímicos, antioxidantes, nitrosaminas, minerais, bioflavonoides e químico-protetores, como o sulforafano e as isofl avonas, que trabalham contra as toxinas, faz que esses alimentos promovam resistência celular e melhoram o sistema imunológico”, completa a nutricionista.

A poderosa alfafa
Mas não é só. A alfafa também contém clorofila, assim como vitaminas A, complexo B, C, D, E, G, K e U. Além disso, apresenta grandes quantidades de minerais como ferro, cálcio, fósforo e enxofre. Entre tantos benefícios, a especialista destaca ainda a canavanina, um aminoácido que tem sido estudado por suas propriedades anticancerígenas: “Afirma-se que ela pode ser benéfica à prevenção do câncer pancreático, do cólon e até da leucemia”, comenta. Para as mulheres que estão enfrentando o período da menopausa, o consumo de brotos também pode ser uma boa opção no cardápio. “A presença de estrógenos vegetais é abundante nesse tipo de alimento. Eles aumentam a formação da densidade óssea e previnem a osteoporose. E mais: são úteis no controle da TPM e nos tumores fibrocísticos das mamas”, diz Elaine. Outro nutriente que merece a atenção dos consumidores é a saponina, que combate o mau colesterol e a gordura, preservando as gorduras boas (HDL). “As saponinas são igualmente estimulantes do sistema imunológico e são capazes de aumentar a atividade de todas as células defensoras naturais”, completa.

Orgânico e mais nutritivo
Se ainda não ficou convencido, saiba que o que também faz dos brotos um exemplo de excelência nutritiva é sua maior digestibilidade proteica, além da redução dos fatores antinutricionais (rafinose, estaquiose) nas leguminosas, causadores de flatulências. Outro motivo para incorporá-lo no seu cardápio diário é o fato de que, geralmente, eles são vegetais produzidos sem adição de agentes químicos, pois em seu cultivo não são utilizados adubos tóxicos. Na opinião da nutricionista Regina Longano, de São Paulo, “isso faz que esses alimentos tenham características orgânicas de incomparável valor nutritivo”.

Tolerância em alta
Alguns brotos admitem escaldamento: “O ideal é mergulhar em água fervente por um minuto, escorrer rapidamente e passar sob a água fria. Depois é só usar em salada, sopa, aves, etc.”, aconselha Elaine. Idosos, crianças e grávidas que tenham seu sistema imunológico comprometido devem evitar todo tipo de alimento cru e preferir os cozidos. Mas segundo a nutricionista Regina, “os brotos são bastante tolerados pela maioria das pessoas, mas pode haver casos de intolerância alimentar. Mas isso dependerá do perfil bioquímico de cada indivíduo”, conclui.

A loja Biomarket vende Amaranto em grãos em embalagem de 150g Compre aqui

Por: Leonardo Valle
Fonte: Revista Viva Saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*