Pesquisa mostra que castanha do Para pode ajudar a prevenir e combater Alzheimer

Pesquisa vencedora do Prêmio Jovem Cientista destaca efeitos positivos na prevenção e tratamento do mal de Alzheimer

Quem faz dieta certamente já deve ter ouvido de um nutricionista a recomendação de comer castanhas. Rica em ômega 3, a castanha traz benefícios no emagrecimento como poderoso antioxidante. Mas a pesquisadora Bárbara Cardoso, da USP, encontrou indicativos de que os efeitos da castanha do Pará podem ajudar também na prevenção e combate ao mal de Alzheimer.

Bárbara fez testes em idosos que apresentavam leves sintomas de comprometimento cognitivo e passou a ministrar uma castanha ao dia. O resultado foi uma melhora na capacidade de raciocínio dos idosos e a melhoria da fluência verbal. Na prática, a pesquisa apontou que a castanha do Brasil pode ser um importante aliado no combate ao Alzeihemer. Tudo isso graças a um mineral encontrado na castanha, o selênio. Em sua pesquisa, Bárbara descobriu que 99% dos idosos com leve comprometimento cognitivo tinham deficiência nutricional da substância.

Agora, a pesquisadora está no Centro de Pesquisa Neurológica da Universidade de Melbourne, na Austrália, para fazer testes específicos em animais. A ideia é medir o potencial do selênio contra a doença. “A pesquisa nos trouxe muitas novas perguntas e isso é desafiador”, afirmou. Bárbara, cujo estudo foi sua tese de doutorado na USP, é uma das vencedoras no Prêmio Jovem Cientista deste ano. O prêmio é uma iniciativa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, o CNPq, e conta com a parceria da Fundação Roberto Marinho. Os vencedores foram anunciados nesta quinta-feira (21), em Brasília, e receberão o prêmio no Palácio do Planalto, em cerimônia ainda sem data definida.

O Prêmio

Criado em 1981, o Jovem Cientista é distribuído a pesquisadores das categorias Mestre/Doutor, Ensino Superior, Ensino Médio, e Mérito Institucional e Mérito Científico, com prêmios de mais de R$ 800 mil, além de laptops e bolsas de estudo do CNPq. A edição deste ano teve como tema “Segurança Alimentar e Nutricional”. Mais de 1.900 pesquisas foram inscritas.

Os premiados

CATEGORIA MESTRE E DOUTOR

1º LUGAR- BÁRBARA RITA CARDOSO

Instituição: Universidade de São Paulo (USP) – São Paulo, SP
Orientador: Silvia Maria Franciscato Cozzolino
Título da pesquisa: Efeitos do consumo de castanha-do-brasil (Bertholetia excelsa H.B.K.) sobre a cognição e o estresse oxidativo em pacientes com comprometimento cognitivo leve e a relação com variações em genes de selenoproteínas

2º LUGAR – CAMILA MARANHA PAES DE CARVALHO

Instituição: Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) – Rio de Janeiro, RJ
Orientador: Inês Rugani Ribeiro de Castro
Título da pesquisa: Proposta de avaliação do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) para municípios do estado do Rio de Janeiro

3º LUGAR – FERNANDA GARCIA DOS SANTOS

Instituição: Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) – Santos, SP
Orientador: Vanessa Dias Capriles
Título da pesquisa: Nutrição nas enfermidades agudas, crônicas e degenerativas: o uso de recursos dietéticos na prevenção e tratamento de doenças

CATEGORIA ESTUDANTE DO ENSINO SUPERIOR

1º LUGAR- DELOAN EDBERTO MATTOS PERINI

Instituição: Universidade Federal da Fronteira do Sul (UFFS) – Erechim, RS
Orientador: Marcela Alvares Maciel
Título da pesquisa: Modelo de agricultura urbana como inovação no processo de abastecimento de alimentos em cidades de pequeno porte

2º LUGAR- DAVI BENEDITO OLIVEIRA

Instituição: Universidade Federal de Itajubá (Unifei) – Itajubá, MG
Orientador: Álvaro Antônio Alencar de Queiroz
Título da pesquisa: Biossensores nanoestruturados para a monitoração da qualidade do pescado

3º LUGAR – KAMILA RAMPONI RODRIGUES DE GODOI

Instituição: Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) – Campinas, SP
Orientador: Ana Paula Badan Ribeiro
Título da pesquisa: Avaliação da incorporação de fitoesteróis livres e esterificados como agentes estruturantes em bases lipídicas para aplicação em alimentos

CATEGORIA ESTUDANTE DO ENSINO MÉDIO

1º LUGAR- JOANA MENEGUZZO PASQUALI

Instituição: Colégio Mutirão de São Marcos – São Marcos, RS
Orientador: Andréia Michelon Gobbi

2º LUGAR- MOISES LOPES RODRIGUES

Instituição: Escola Estadual de Ensino Médio Rui Barbosa – Tucuruí, PA
Orientador: Paulo Sérgio Melo das Chagas
Título da pesquisa: Uso de resíduos de peixe como fertilizante na agricultura familiar

3º LUGAR – BRUNA MARCHESAN MARAN

Instituição: Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) – São Miguel do Oeste, SC
Orientador: Tahis Regina Baú
Título da pesquisa: Avaliação das propriedades funcionais tecnológicas do okara desidratado e aplicação em biscoito tipo cookie

CATEGORIA MÉRITO INSTITUCIONAL

Ensino Superior: Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) – Florianópolis, SC
Ensino Médio: Escola Estadual de Educação Profissional Joaquim Nogueira – Fortaleza, CE

CATEGORIA MÉRITO CIENTÍFICO

FRANCO MARIA LAJOLO
Universidade de São Paulo (USP) – São Paulo, SP

Fonte: Época

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*