O Roxo para o Nosso Organismo

Alimentos de coloração arroxeada, como uvas, ameixas e açai, são ricos em antocianinas, flavonóides com ação anticancerígina, antienvelhecimento e que inibem a formação de coágulos no sangue. Cada fruta oferece ainda nutrientes em diferentes quantidades.

PROTEÇÃO NOS CACHOS

A composição da uva se modifica conforme a variedade. A principal diferença é a coloração: o que muda é o teor de antocianinas, presentes em grande quantidade na casca de uvas roxas. Por isso, o ideal na hora do consumo é não dispensar as cascas repletas de nutrientes.

Além da antocianina, as uvas de tons roxos possuem um dos mais poderosos antioxidantes: o resveratrol. A substância controla as taxas de colesterol e protege o coração contra danos causados pelo envelhecimento.

MAIS ENERGIA

Famoso por fornecer muita energia, o açaí, é uma fruta típica do Brasil, produzida na região amazônica. É rico em proteínas, fibras e lipídeos. Possui vitaminas C, B1 e B2, boa quantidade de fósforo, ferro e cálcio.

No mercado, é mais comum encontrar a polpa congelada da fruta, já que fermenta rapidamente. O açaí foi escolhido por aqueles que praticam exercícios físicos devido à combinação de nutrientes: é rico em carboidratos, fonte primária de energia para o corpo, e fornece proteínas, que não podem faltar para a formação e manutenção da massa muscular.

Por conter boa qualidade de gorduras, deve ser consumido com moderação por quem se preocupa com o peso. Porém, uma boa notícia: a maior parte delas é do tipo poliinsaturada, que controla as taxas de colesterol. Essas gorduras, aliadas às antocianinas presentes em peso no açaí, melhoram a circulação sanguínea, prevenindo problemas cardíacos.

Rica em fibras, a ameixa já se tornou um popular remédio contra a prisão de ventre. As fibras, em especial as insolúveis, tornam o bolo fecal mais macio e com maior volume, ajudando no funcionamento normal do intestino.

A propriedade laxante da fruta também se deve a um tipo de açúcar chamado sorbitol, que estimula as funções digestivas. Porém, produtos dietéticos que contenham essa substância devem ser consumidos com moderação, pois o sorbitol em excesso pode causar diarréia.

APROVEITAR ATÉ A CASCA

Há quem não deixe de lado o hábito de consumir jabuticaba direto do pé, em vez de comprá-las no mercado. E fazem muito bem, como a fruta é rica em açúcar e pode fermentar rapidamente, o melhor mesmo é consumi-las recém-colhida. A polpa oferece fósforo, ferro e vitamina C e do complexo B.

Por outro lado, existe também o hábito de consumir somente a polpa e descartar a casca. O que muitos não sabem é que estão jogando fora uma boa dose de substâncias que fazem a diferença na saúde.

A casca contém antocianina que pertence à classe dos flavonóides e combate os radicais livres, principais causadores do envelhecimento celular. Também está presente na casca uma forma solúvel de fibra, a pectina, que retém água, glicose, colesterol e gorduras em geral quando chega ao intestino.

Dessa forma, pode controlar diabetes, dislipidemia (aumento das taxas de gordura no sangue) e até obesidade.

Para aproveitar todos os benefícios, é possível utilizar a casca da jabuticaba em sucos naturais. Basta usar a criatividade, batendo no liquidificador com abacaxi, limão, maçã, etc.

Recomenda-se UVAS: 1 cacho pequeno por dia ou 1 copo (250 ml) de suco concentrado, sem açúcar; AÇAÍ: 1 copo (250 ml) de suco ou 1 tigela pequena da polpa, em dias alternados da semana; AMEIXA: 2 a 3 unidades ao dia, 3 vezes por semana; MIRTILO: ½ xícara (chá) em dias alternados da semana; JABUTICABA: 1 copo (250 ml) de suco ou 1 xícara (chá) da fruta fresca por dia.

Fonte: A Nutricionista.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*