O consumo de castanhas pode reduzir a incidência de câncer de mama e de cólon

O consumo de 2 a 3 porções semanais (28-57g) de castanhas pode reduzir o risco de vários tipos de câncer.

Fevereiro de 2016 – O ato de adicionar castanhas à dieta está associado à redução do risco de câncer. Esta é a conclusão principal de vários estudos que mostraram que a ingestão de 2 ou 3 porções por semana (28-57 g) de castanhas, tais como amendoins, nozes ou amêndoas, está associada à redução do risco de alguns tipos de câncer (de mama, cólon, pâncreas e pulmão).

Num estudo levado a cabo pelo Dr. Soriano-Hernandez e sua equipe na Universidade de Colima (México), ficou concluído que o consumo frequente de amendoins, nozes ou amêndoas está associado à redução do risco de câncer de mama, por um fator de 2 ou 3. Os pesquisadores avaliaram 97 pacientes com câncer de mama e 104 indivíduos de controle que não apresentavam a patologia. . Outro estudo, do Hospital de Brigham para Mulheres, da Faculdade de Medicina de Harvard (USA) mostrou que, comer 2 porções de castanhas por semana durante a adolescência, está relacionado a 36% de diminuição de risco de câncer de mama, comparado a mulheres que consumiam menos do que uma porção por mês. .

Diferentes estudos mostraram que o consumo de castanhas pode, igualmente, reduzir a incidência de câncer de cólon. Em 2004, a Investigação Prospectiva Europeia sobre Câncer e Nutrição provou a redução da incidência de câncer de cólon em mulheres que comiam uma média de 16 g de castanhas e sementes diariamente. Este estudo revelou ainda que, em mulheres que consumiam acima de 6.2 g de castanhas e sementes por dia, havia 31% a menos de risco de câncer de cólon . Naquele mesmo ano, um pouco antes, um time de pesquisadores do Hospital de Brigham para Mulheres, da Faculdade de Medicina de Harvard (USA) descobriu que mulheres que consumiam castanhas duas ou mais vezes por semana (aproximadamente 56 g por semana) apresentavam um risco 13% menor de câncer colorectal, comparado a mulheres que consumiam castanhas raramente.

Além disso, consumir apenas duas porções (28 g) está relacionado a 32% de diminuição do risco de câncer do pâncreas entre mulheres e pesquisadores do Instituto Nacional do Câncer DCCPS (Maryland, United States) relataram que o consumo de castanhas está estatisticamente associado à redução do risco de câncer nos pulmões.

A conclusão é que o consumo de castanhas não está apenas associado a um menor risco de câncer, mas também à redução do risco de morte por câncer. Estes são os resultados do estudo da PREDIMED (PREvención con DIeta MEDiterránea), que indicaram no ano passado que os participantes que tinham o hábito de consumir 3 porções de castanhas (57 g) por semana, reduziam em 40% o risco de morte por câncer .

Sobre o Conselho Internacional de Castanhas e Frutas Secas

Os integrantes do Conselho Internacional de Castanhas e Frutas Secas abrangem aproximadamente 700 empresas do setor de castanhas e frutas secas de 70 países. O INC é a organização internacional de referência no que diz respeito a saúde, nutrição, estatística, segurança alimentar, normas e regulamentos internacionais relacionados a castanhas e frutas secas.

Fonte: INC – International Nut and Dried Fruit Council

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*