Estudo confirma os benefícios dos alimentos orgânicos

Alimentando o debate sobre os méritos de alimentos orgânicos, revisões de  estudos anteriores encontraram níveis substancialmente mais elevados de antioxidantes e níveis mais baixos de pesticidas em frutas orgânicas, vegetais e grãos, em comparação com os produtos cultivados convencionalmente.

“Isso demonstra muito claramente como a forma de cultivo de alimentos gera impacto”, disse Carlo Leifert, professor de agricultura ecológica na Universidade de Newcastle, na Inglaterra, que liderou a pesquisa. “Consumidores de frutas e legumes orgânicos podem ter certeza que possuem, em média, uma maior quantidade de antioxidantes.”

No entanto, os resultados completos, que serão publicados na próxima semana no British Journal of Nutrition não chegam a afirmar que comer produtos orgânicos vai levar a uma melhor saúde.

“Nós não estamos fazendo alegações de saúde com base neste estudo, porque não podemos”, disse Leifert. O estudo, segundo ele, é insuficiente “para dizer que o alimento orgânico é definitivamente mais saudável, e não se pode afirmar nada sobre impacto gerado na saúde com a mudança na forma de consumo de alimentos.”

Ainda assim, os autores observam que outros estudos têm sugerido que alguns tipos de antioxidantes têm sido associados a um menor risco de contrair câncer e outras doenças.

As conclusões do novo relatório vão de encontro aos de uma análise semelhante publicado há dois anos por cientistas da Universidade de Stanford, que afirmaram  ter encontrado poucas diferenças no conteúdo nutricional dos alimentos orgânicos e do cultivados convencionalmente. O estudo da Universidade de Stanford afirmava que as pequenas diferenças que existiam não eram suficientes o bastante para influenciar a saúde de consumidores de alimentos orgânicos, que são geralmente mais caros.

O estudo de Stanford, como o novo estudo, encontrou resíduos de pesticidas muitas vezes maior em frutas e vegetais cultivados convencionalmente, mas minimizou a importância, porque mesmo os níveis mais elevados foram em grande parte abaixo dos limites de segurança.

A agricultura orgânica, de modo geral, elimina o uso de fertilizantes químicos e pesticidas convencionais. Essas práticas oferecem benefícios ecológicos, como solos saudáveis, mas produzem colheitas menores. As vendas de alimentos orgânicos movimentaram 32,3 bilhões dólares ou pouco mais de 4 por cento do total do mercado no ano passado, segundo a Organic Trade Association.

O que é contestado, é se frutas e legumes orgânicos realmente fornecem valor nutricional mais elevado. Muitos opositores consideram alimentos orgânicos uma jogada de marketing para cobrar preços mais altos.

Tais diferenças são difíceis de discernir porque outros fatores podem influenciar como: de um lugar para outro ou de ano para ano. Mesmo que estas diferenças existam, não está claro se elas podem afetar a saúde do consumidor.

De modo geral, o novo estudo descobriu que os alimentos orgânicos continham  17% mais antioxidantes do que os cultivados convencionalmente. Em alguns casos a diferença de antioxidantes era maior. No caso das flavonas, por exemplo, a quantidade era 69% mais elevada nos alimento orgânicos.

Os pesquisadores disseram que analisaram os dados de várias maneiras diferentes, e em todas as vezes os resultados gerais mantiveram resultado robusto.

O estudo também descobriu que os alimentos produzidos organicamente, especialmente grãos, contêm níveis mais baixos de cádmio, um metal tóxico que às vezes contamina fertilizantes convencionais. No entanto, não havia nenhuma diferença na quantidade de outros metais tóxicos como o mercúrio e de chumbo.

Fonte: New York Times

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*