Baunilha natural perde seu sabor na Índia

A produção de baunilha natural chegou a um impasse, pois as empresas estão preferindo usar baunilha sintética, ao invés de baunilha natural, devido a uma diferença substancial de preço entre as duas. Baunilha sintética é muito mais barata e considerada mais útil do que a versão natural.

Baunilha é utilizada principalmente na forma de sorvete e como sabor de itens de padaria. Hoje as empresas preferem baunilha sintética, graças à vantagem de preço.

Vanilina, o extrato de baunilha natural, custa em torno de Rs [Rupia, moeda indiana] 20.000 por kg, enquanto o preço da sintética custa em torno de Rs 1.000 por kg.

Além disso, o número de agricultores envolvidos na produção de baunilha caiu de 200.000, durante o tempo de pico, para 100. A maioria dos agricultores foram deslocados para a produção de noz moscada e borracha natural.

Por oito anos a partir de 1999, o cultivo de baunilha atraiu milhares de agricultores em parte do país peninsular, especialmente Kerala. O declínio começou a partir de 2007, e em maio deste ano [2012] o tempero perdeu o seu sabor entre os produtores no país. Motivo: A forte queda nos preços devido a uma ausência de demanda, tanto na Índia quanto no exterior.

Surpreendentemente, o país não tem um mercado local para o tempero. Mesmo o Conselho de Especiarias não tem uma idéia sobre os últimos números de produção de baunilha na Índia. Funcionários do Conselho dizem que seu escritório possui dados sobre a produção ou venda de baunilha para o último par de anos. “Depois de novembro de 2011, não houve exportação. Durante o mês, apenas 160 kg de grão processados foram enviados”, uma fonte disse à Business Standard.

Os produtores de Ernakulam distrito do centro de Kerala, onde o cultivo era abundante há uma década, também têm pouca idéia sobre o estado atual da sua cultura. A Companhia de Produtores de Baunilha da Índia Ltda (Vanilco) diz que no norte do estado de Kannur tem algumas faixas como Iritty onde alguns agricultores estão envolvidos no cultivo de baunilha. “A cultura também é cultivado em algumas partes do Karnataka”, diz o diretor da Vanilco, M C Saju. “A área total (em Karnataka e Kerala) não pode ser acima de 200 hectares atualmente, contra 5.815 hectares em 2005-06”, acrescentou.

A produção de grãos processados atingiu um pico de 236 toneladas em 2004-05, contra poucos quilos no momento. A exportação estava em seu pico em 2008-09 – 305 toneladas no valor de Rs 26,70 crore, contra 210 toneladas no valor de Rs 18,25 crore em FY08, disse Saju.

A queda forte nos preços de grãos de baunilha verde, juntamente com o advento de baunilha sintética barata, drenou o lucro para fora da produção de baunilha natural. Devido a uma série de quebras de safra em Madagáscar, o maior produtor do mundo, durante a segunda metade da década de 1990, a demanda para a cultura de outros países, incluindo Índia, aumentou.

Isso levou a um aumento constante em seu preço. Durante 2001-02, o preço global de baunilha em grão verde subiu para Rs 3.500 por kg. A baunilha atraiu um grande número de agricultores do sul da Índia, como aconteceu no caso do cacau durante 1980. Até 2007, os preços da baunilha estavam em alta, mas depois eles começaram a cair drasticamente. No final de 2007, o preço de mercado aberto de grão verde caiu para Rs 250 por kg. Nos anos seguintes, ela caiu abaixo de Rs 100 por kg. O preço global atual é de Rs 250-300 um kg, Saju acrescentou.

Mas, em comparação com baunilha sintética, o preço da variedade natural é ainda elevada. Assim, a baunilha sintética é amplamente utilizado para todas as aplicações em todo o mundo.

“Essa lacuna enorme nos preços de baunilha natural e sintética levou a um colapso na produção e comercialização do material natural”, disse Saju. Baunilha natural não é um item essencial; é usado apenas para dar sabor. Por outro lado, a baunilha sintética é útil para inúmeras possibilidades.

Saju acrescentou que a Vanilco, fundada em 2003, ainda tem um estoque de 500 kg de vanilina ociosa por falta de demanda. Nos seus bons tempos, Vanilco tinha um contrato com Amul, garantindo a compra regular de vanilina. Então o ministro da união comércio, Jairam Ramesh, garantiu que a Amul iria manter a diferença entre os preços de baunilha natural e sintética como um subsídio de preços para a promoção de baunilha natural. Mas, o governo não cumpriu sua palavra, levando Amul para desistir.

Isto perturbou o funcionamento da Vanilco e deixou-o em uma situação ruim. A entidade está agora procurando uma maneira de limpar o estoque.

Fonte: Business Standard

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*