Veja uma pequena lista de onde comer no sul, sem colocar churrasco no prato

Café Bonobo

Restaurante vegano e espaço cultural libertário que tem como proposta mostra que é possível comer sem agredir o meio ambiente e os animais.

Onde – Rua Castro Alves, 101, Bom Fim – Porto Alegre – RS
Tel.: (51) 3013-1464

Vê – Empório e Restaurante Orgânico

Bufê vegano com pratos quentes, saladas e opções sem glúten e sem lactose, com toque de culinária francesa.  Possui também um empório de produtos orgânicos e veganos.

Onde – Av. Lageado, 1265, Porto Alegre- RS
Tel.: (51) 3022 4942

Quintal Orgânico

Cozinha orgânica variada à la carte, onde o chef monta o menu junto com o cliente, associando o orgânico à alta gastronomia. Ambiente charmoso que atende o café da manhã, almoço e eventos.

Onde – Av. Nilo Peçanha, 633, Petrópolis, Porto Alegre – RS
Tel.: (51) 3371 3371

MOOD Cafeteria Gluten & Lac Free

Excelentes opções de cafés, cardápio bem variado com comidinhas, sanduíches e sobremesas fiéis à proposta. Ambiente moderno e aconchegante.

Onde – Rua Azevedo Sodré, 25, Passo d’Areia, Porto Alegre – RS
Tel.: (51) 3019 4873

B Burger

Fast-food 100% vegano com deliciosos hambúrgueres de soja, bolinhos de falafel, sucos naturais, chás e água de coco que podem ser degustados no local ou pedidos pelo delivery.

Onde – Rua 24 de Outubro, 33, Moinhos de Vento, Porto Alegre – RS
Tel.: (51) 3407 4343

Como ser vegetariano na terra do churrasco

A culinária do sul do Brasil tem forte tradição em churrasco. Isso faz parte da história desses estados, principalmente por terem recebido influência de países de fronteira como Uruguai e Argentina, que têm a carne como principal ingrediente da alimentação.

Mas a forma de se alimentar dos sulistas vem causando surpresas. O Rio Grande do Sul, por exemplo, já ocupa o terceiro lugar nas estatísticas de consumo de produtos vegetarianos, veganos e saudáveis, segundo o Mapa Veg, um cadastro nacional de adeptos do estilo de vida. Outra pesquisa feita do IBOPE indicou que mais de 6% da população de Porto Alegre é vegetariana.

O fato é que o brasileiro, de um modo geral, se preocupa cada vez mais com a relação dieta x saúde e está investindo em cuidados para colocar em prática essa conscientização. A indústria brasileira de alimentos denominados saudáveis já é a quinta maior do mundo, e o país é também um dos maiores mercados consumidores de comida saudável.

Segundo a especialista em alimentos Fabiana Crivano, do ISAE/FGV (Instituto Superior de Administração e Economia da Fundação Getúlio Vargas), o mercado voltado à alimentação saudável vem se fortalecendo porque os hábitos dos consumidores estão mudando.

“O consumidor, além de mudar seus hábitos, tem se preocupado mais com a questão sustentável e com a saúde, além de um cuidado especial com doenças cardiovasculares e alergias, que têm aumentado nos últimos anos. É perceptível essa preocupação do brasileiro com a sua saúde”, afirma a profissional.

Se a sociedade está preocupada com o alimento que consome, é importante que exista uma oferta de alimentos confiáveis, com produção que respeite o meio ambiente e o trabalho justo, além de não usar nenhum tipo de agrotóxico. E alguns estados têm trazido boas notícias sobre este assunto. No início do ano, o Governo do RS lançou o Rio Grande Agroecológico – Plano Estadual de Agroecologia e de Produção Orgânica. A ação tem como foco a agroecologia e a produção orgânica, e tem a gestão de instituições como Secretarias de Estado, Governo Federal, Universidades e ONGs.

As autoridades do estado gaúcho estão atentas a um fato importante: além de oferta com qualidade, é preciso aumentar a produção para incentivar a competitividade do mercado, fazendo com que os preços dos alimentos saudáveis sejam mais acessíveis e atendam todas as camadas da sociedade, não apenas quem pode pagar por produtos mais caros.

Com a oferta de produtos saudáveis cada vez maior e a demanda crescente dos consumidores é natural que o número de restaurantes, padarias, cafés e similares com a mesma proposta também aumentem. Isso também vale para o delivery de comida. Hoje a disponibilidade para usuários do serviço inclui uma variedade enorme de restaurantes de alimentos saudáveis, que já ocupam o segundo lugar entre as refeições mais pedidas.

Fonte: Revista Gastrolândia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*