Ansiedade: uma das causas da obesidade

Uma observação inicial: Caso você se identifique com esse artigo e suspeite ou acredite que é ansioso, procure auxílio profissional para tratar – não os sintomas somente – mas, principalmente, as causas do problema. Isso porque a ansiedade é a causa da obesidade de muitas pessoas, e se você deseja partir para o emagrecimento, só será possível superando esse obstáculo.

Você é ansioso (a)? Quando está sozinho em casa o que faz? Consegue relaxar, deitar na cama e ficar tranqüilo, sem preocupações, sem estresse, somente aproveitando o seu momento de descanso? Ou você já é mais do tipo que não consegue nem sentar. Quando fica sozinho, você logo caminha prá lá e prá cá, pensando em milhares de coisas até que ataca toda a comida da geladeira?

A ansiedade é um momento de tensão. O corpo sabe que receberá stress e por isso modifica suas condições fisiológicas para aquele momento. Sentindo-se ansioso, você está mantendo o corpo tenso, enrijecido. Isso desencadeia alguns sintomas como taquicardia, sudorese, tremores, entre outros.

É normal que fiquemos tensos em diversos momentos da vida. Por exemplo, temos de fazer uma apresentação em público, mas não nos sentimos confortáveis. Você quer namorar, então chegou a hora de se apresentar para o futuro sogro e sogra. A tensão é algo natural do ser humano, o problema é quando essa tensão permanece de forma constante na vida de uma pessoa. Aí as complicações podem surgir. A hipertensão pode ser causada por um nível constante de ansiedade. A gastrite, várias alergias de pele, e várias outras patologias podem ser desencadeadas por um estado de tensão constante.

Porque muitas pessoas ansiosas descarregam sua tensão na comida

Muitas pessoas não encontram a felicidade que procuram em todas as áreas de sua vida. Como comer é um dos grandes prazeres da vida, várias dessas pessoas acabam compensando a falta de outros prazeres e alegrias comendo exageradamente. A pessoa ansiosa, normalmente, sente-se infeliz e extravasa essa tristeza comendo. Ou também pode estar sentindo raiva, ou tédio, e da mesma forma tenta fazer com que isso passe, comendo. Esse ato pode ser compulsivo, tornando-se um transtorno, onde a pessoa perde o controle da situação.

O Transtorno alimentar periódico

O descontrole emocional, que é normalmente causado por nossa vida complicada e sempre estressante (correria, pressão no trabalho, nos estudos, etc.) e também por uma convivência difícil com as pessoas (amizades conturbadas; brigas com marido, família, etc.) fazem com que os sentimentos tornem-se muito intensos e que por sua vez afetem a mente, tirando a paz da pessoa. Aos poucos as reações físicas podem ser sentidas, e logo, a qualidade de vida cai.

Por exemplo: Imagine uma pessoa que sofre muita pressão no trabalho, acabou de se separar, está endividada com vários cobradores ligando em sua casa todos os dias. Essa situação não é difícil de ver. Agora imagine o que a pessoa está sentindo. O que se passa na mente dela. Como ela está emocionalmente. Essas situações levam a uma tensão definitiva, que só terá fim quando os problemas forem resolvidos.

Caso a pessoa não seja forte o suficiente, é possível que esta fique presa à ansiedade e desenvolva uma série de distúrbios físicos e emocionais em longo prazo. Uma das conseqüências possíveis é a obesidade. Isso porque a pessoa passa a descarregar sua tensão, raiva e tristeza, comendo, pois a comida gera prazer, e naquele momento pode ser confortável. Mas, aos poucos, esse hábito acaba se tornando uma compulsão, que é conhecida como transtorno da compulsão alimentar periódico. O desfecho da história dessa mulher que foi citada no exemplo pode ser triste. A obesidade contribui para desencadear uma série de patologias, como a hipertensão, diabetes, aumenta o risco de ataque cardíaco e de ocorrer um acidente vascular cerebral. E há outro fator que trará transtornos psicológicos e de convivência social para a pessoa.

Como nosso caráter é muito influenciado pelos outros, atualmente, enxergamos a beleza estética como sendo a pessoa magra. Por isso, a pessoa obesa tende a perder a auto-estima, o que a levará a um isolamento (caso não peça ajuda e não seja ajudada) e a uma conseqüente depressão, que pode resultar em um suicídio em casos avançados.

Para que o artigo não fique muito extenso, vamos continuar na próxima semana, onde falaremos de como se livrar desse problema.

Continuar>>

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*